Cuidando da Querência Big! (relato de experiência vivida)

Mai 23, 2021

Já faz quase seis anos desde a compra do terreno que hoje é a Querência Big. Naquela oportunidade, senti que estávamos realizando um grande sonho, que, hoje, efetiva-se na simpática propriedade rural que possuímos no interior de São Miguel do Oeste.

Nós não dormimos lá todos os dias; é mais comum fazermos isso nos finais de semana. Porém, sempre acordamos cedo. Assim, normalmente pela manhã, fazemos os trabalhos mais pesados e cansativos, como cortar a grama e, às vezes, carpir lotes de terra, para que nós possamos plantar vegetais, legumes e temperos. Já os trabalhos mais simples ficam para a parte da tarde, como limpar a casa e o quiosque, alimentar os peixes, colher frutos, entre outros.

É até cansativo, mas, no geral, eu acho que vale a pena ter uma chácara, pois nela não existe tédio, sempre tem uma coisa nova para fazer. Por exemplo: nas vezes em que fazemos churrasco, chamamos amigos, e isso é ótimo para sair do estresse da rotina do dia a dia. Estando na cidade, tem vez em que chego em casa e a primeira coisa que quero fazer é ir logo para a chácara. É algo tão importante para mim, que, ficar uma semana sem ir lá, já é o suficiente para gerar saudades.

Cada coisa que é feita na chácara é uma alegria diferente. Quando foi feito o quiosque, sentimos que ali era um lugar especial para o encontro com parentes e amigos, jogar conversa fora, tocar uma boa música no violão e “esquecer um pouco da vida”. Depois, quando compramos o caiaque, dava vontade de ir para lá só para usá-lo.

Enfim, ter uma chácara não é para ir só aos finais de semana: precisamos usufruir dela com frequência, principalmente pelo importante bem-estar que ela proporciona!

* texto de autoria de Adriano Biegelmeier, artífice que reside em São Miguel do Oeste (SC)

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar