Diário da Pandemia – 455º dia de confinamento:

Junho 16, 2021

Fez frio praticamente todo o dia. Não aquela “friaca” chata, mas um friozinho até suportável. De manhã, então, tive trabalho remoto pela escola. E à tarde, não fiz absolutamente “niente” – como diria o bom italiano. Agora, um pouco passado das 19 horas em Brasília, assisto ao fraco São Paulo x Chape – vitória parcial dos paulistas por 1 x 0. Amanhã, contudo, o dia deverá ser bem “corrido” – esperemos para ver...

A nossa vida é cheia de reviravoltas: ora estamos cá, ora estamos lá. Nessas andanças, muitas incógnitas, muitas incertezas, muitos desafios. Por isso, sempre, “é preciso ter coragem”.

É preciso ter coragem para, todos os dias, acordar disposto a enfrentar uma nova jornada, que pode, inclusive, reservar muitas surpresas – tanto favoráveis quanto desfavoráveis. A coragem, assim, “nasce” como cada dia novo em nossa vida.

É preciso ter coragem para realizar nossos projetos, sejam eles pequenos ou grandiosos. Aliás, essa coragem necessita estar presente em todas as nossas ações, das mais simples às mais complexas.

É preciso ter coragem para manter nossas finanças em dia; ainda mais em um mercado tão instável, no qual os preços dos produtos são constantemente majorados – mas nosso salário não o é...

É preciso ter coragem para ver a beleza da vida, manifesta em cada obra divina: de uma simples flor a uma monumental montanha. Para isso, precisamos ter os olhos sempre bem abertos, e os ouvidos, bem sensíveis.

É preciso ter coragem para ouvir o “grito de socorro” do irmão que está em dificuldades, precisando de nossa ajuda. Muitos, porém, fecham seus ouvidos, fingindo que a dor do outro não o incomoda...

É preciso ter coragem, por fim, para confiar num futuro melhor para todos. Em dias melhores, com menos doenças (a Covid teima em não ir embora), mais fé e confiança!

E você, ainda tem coragem?

Boa noite!

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar